Eusápia Palladino

(1845 - 1918)

A mediunidade de Eusápia Palladino marca um estágio importante na história da pesquisa psíquica porque foi ela a primeira dos médiuns de fenômenos físicos a ser examinada por um grande número de homens de ciência. As primeiras manifestações que ocorriam com ela consistiam no movimento de objetos sem contato, a levitação de objetos e de si própria, o aparecimento de mãos materializadas, de rostos, de luzes, além da execução de músicas em instrumentos sem contato humano.

A carreira dessa napolitana humilde e iletrada começou quando sentada à mesa com amigos com os quais foi morar, fez sem saber ser a causadora, levitar a mesa, dançar as cadeiras, puxar as cortinas e girar garrafas e copos. Aos 22 anos começou a sua educação espírita dirigida por um ardoroso conhecedor do assunto chamado Damiani, cuja esposa havia sido aconselhada por um espírito chamado John King, a procurar Eusápia, pois esta tratava-se de uma poderosa médium através da qual ele deveria manifestar-se. No endereço marcado a Sra. Damiani encontrou a referida pessoa, desconhecida para ela, passado John King a ser o guia espiritual da médium.

Sua primeira apresentação ao mundo científico europeu foi através do professor Chiaia, de Nápoles, que em 1888 publicou num jornal de Roma uma carta ao professor Lombroso, dando detalhes de suas experiências e convidando esse célebre alienista a fazer observações diretas com a médium. Só em 1891 Lombroso aceitou o convite e em fevereiro daquele ano fez duas sessões com Eusápia, em Nápoles. Converteu-se e escreveu: "Estou cheio de confusão e lamento haver combatido com tanta persistência a possibilidade dos fatos chamados espíritas". Sua conversão levou muitos cientistas importantes da Europa a investigar e daí em diante a Sra. Eusápia Palladino esteve ocupada durante muitos anos em sessões experimentais.

As sessões de Lombroso em Nápoles, em 1891, foram seguidas pela comissão de Milão em 1892, que contava com o professor Schiaparelli, diretor do Observatório de Milão, o prof. Gerosa, catedrêtico de Física, Ermacora, doutor em Filosofia Natural, Aksakof, conselheiro do Estado do Tzar da Rússia, Charles du Prel, doutor em Filosofia de Munique, e o prof. Charles Richet, da Universidade de Paris. Foram realizadas 16 sessões.

Depois veio a investigação em Nápoles, em 1893; em Roma, entre 1893 e 1894; em Varsóvia e na França em 1894 - esta última sob a direção do prof. Richet, de Oliver Lodge, de Mr. F. W. M. Myers e do Dr. Ochorowicz; em 1895, em Nápoles; e no mesmo ano na Inglaterra, em Cambridge, em casa de Myers, em presença do professor, de Mrs. Siddgwick, de Sir Oliver Lodge e do Dr. Richard Hodgson. Foram continuadas em 1895, na França, em casa do Coronel de Rochas; em 1896 em Tremezzo, em Auteuil e em Choisy Yvrac; em 1897 em Nápoles, Roma, Paris, Montfort e em Bordeus; em Paris, em novembro de 1898, em presença de uma comissão de cientistas, composta dos Srs. Flammarion, Charles Richet, A. de Rochas, Victorien Sardou, Jules Claretie, Adolphe Bisson, G. Delanne, G. de Fontenay e outros. Em 1901 no Clube Minerva, de Genebra, em presença dos professores Porro, Morselli, Bozzano, Venzano, Lombroso, Vassalo e outros. Houve muitas outras sessões experimentais com homens de ciência, tanto da Europa quanto da América.

Ao final de tantos anos de fatos comprovados e de amorosa dedicação ao Espiritismo, essa mulher de singular bondade de coração, que a levava a distribuir o que ganhava com a pobreza para aliviar os seus infortúnios e que sentia imensa piedade pelos velhos e pelos doentes, recebia o apoio e a concordância dos mais renomados cientistas que a testaram.

Assim diz Lombroso em seu relatório em 1992: "É impossível dizer o número de vezes que uma mão apareceu e foi tocada por um de nós. Basta dizer que a dúvida já não era possível. Realmente era uma mão viva que víamos e tocávamos, enquanto ao mesmo tempo, o busto e os braços da médium estavam visíveis e suas mãos eram seguras pelos que se achavam ao seu lado".

Fazendo um relatório à Sociedade de Pesquisas da Inglaterra, disse Oliver Lodge: "Conquanto os fatos devam ser explicados, sou forçado a admitir a sua possibilidade. Em minha mente não há mais lugar para dúvidas. Qualquer pessoa sem invencível preconceito que tenha tido a mesma experiência ter chegado a mesma grande conclusão, isto é, que atualmente acontecem coisas consideradas impossíveis.

Eusápia Palladino, mulher simples, soubera cativar com a sua bondade e convencer com sua esplendorosa mediunidade aqueles homens duros e exigentes, mas sobretudo sinceros e de espíritos abertos às pesquisas e às leis soberanas da vida.

Biografias

                                                                                               E-mail: